Entrevista Isaac Hempstead

E as entrevistas não param de aparecer, à medida que nos aproximamos da data de estreia da série. Vamos lá a ver se me consigo manter a par 🙂
Desta vez, Isaac Hempstead-Wright, o garoto que faz de Bran Stark na série, foi entrevistado pelo Science Fiction. Adorei ler esta entrevista!
Pergunta: Você ou a sua família já leram os livros? Como é que reagiram quando descobriram que você tinha sido escolhido para o papel de Bran Stark?
Resposta: A minha mãe leu os dois primeiros livros e o meu pai está atualmente no 5.º livro. E muitos dos nossos amigos também ficaram viciados. Tentei ler A Game of Thrones, mas achei-o um pouco assustador. Vou tentar de novo quando for um pouco mais velho. Ficámos muito entusiasmados quando consegui o papel, apesar de, ao olhar para trás, acho que não sabíamos muito bem o que significava. Foi uma experiência totalmente nova para nós.
P: Quão diferente é Bran de ti, em termos de personalidade? O que é que te levou à personagem? É difícil entrar nela?
R: No início, ele é um rapaz de 10 anos bastante típico, por isso não muito diferente de mim. Infelizmente, a vida tem algumas coisas cruéis reservadas para Bran e ele tem de suportar algumas dificuldades extremas. Não consigo começar a imaginar o que é perder a família, o uso das pernas e toda a segurança, por isso não tenho a certeza de ser possível entrar completamente na personagem. Mas acho que ele é forte e inteligente e tem um bom instinto de sobrevivência, e um bom amigo em Hodor!
P: Como é ter de representar sem utilizar as pernas?
R: Na verdade, não parece estranho representar sem utilizar as pernas, mas torna-me mais consciente da forma como utilizo o resto do meu corpo.
P: Como é trabalhar com os cães? Nesta temporada são CGI [gerados por computador], foi uma mudança difícil?
R: Foi muito fácil trabalhar com os cães. Os cachorros na cena dos lobos eram muito doces, e eu queria levar um para casa comigo. O meu lobo crescido chama-se Elsa e ela é linda. Fico contente por dizer que ela ainda esteve nas gravações desta temporada. Portanto, não houve uma mudança enorme com as adições CGI.
P: Foi estranho saber que você ia fazer uma cena onde era atirado de uma torre? Como é que se prepara para uma coisa dessas?
R: Foi fácil, porque estava preso a um fio enquanto subia a torre e depois tive de cair para uns tapetes quando fui atirado. A equipa de dublês era incrível – aprendi tanto com o Paul [Jennings, Coordenador de Dublês], com a Amie [Stephenson, Gestora de Dublês] e com o Buster [Reeves, Coordenador Assistente de Dublês ]. Suponho que foi um pouco estranho que alguém me tentasse matar, mas o Nikolaj [Coster-Waldau, que interpreta Jaime Lannister] estava sempre a pedir desculpa, e eu dizia ‘Não, está tudo bem!’
P: Qual foi a sua parte preferida ao gravar a série?
R: Gostei muito de aprender acerca do processo de gravações. As câmaras são incríveis, com todas as lentes diferentes e nunca imaginei que houvesse empregos como “focus puller” (1.º cameraman assistente), “loader” (2.º cameraman assistente) e supervisores de argumento. Também adorei conviver com o elenco e a equipa. Fiz tantos bons amigos.
P: Qual foi a tua cena preferida de filmar? Qual foi a mais difícil?
R: A minha cena favorita foi quando os selvagens atacam – foi muito excitante, com uma grande quantidade de ação dramática. Sou fascinado pelas próteses, são tão realistas. Deram-me alguns moldes que tinham a mais de cortes e rasgões, com os quais assustei os meus amigos. A cena mais difícil foi a da execução no episódio piloto, por causa do tempo. Estava tanto frio e os ventos tão implacáveis, que acho que deve ter atingido uma temperatura de -400º.
P: Tem histórias das gravações que gostaria de partilhar connosco?
R: É muito divertido estar em gravações. Há sempre tanta coisa a acontecer. É ser constantemente vestido em prol da continuidade, as roupas e a maquiagem a serem sempre verificadas, há tanto equipamento técnico em todo o lado e toda a gente é muito positiva e amigável. É um local muito bom para se estar. Mesmo quando se está à espera na noite ao frio e ao relento, não me importo. Falo com os outros membros do elenco, jogo às cartas, convivo. E nesta temporada passo muito tempo com o Hodor [Kristian Nairn], o que é brilhante. O Kristian é encantador e um tipo muito engraçado, faz-me mesmo rir. Não há cenas cortadas do género, o que me surpreendeu. Vemos aqueles programas com cenas cortadas e ficamos com a impressão que tudo corre mal nas gravações dos filmes. Em Game of Thrones, uma vez que o realizador diz “Ação” é tudo muito profissional, ninguém comete erros. Apesar disso, tive um pequeno contratempo na cena de abertura no pátio, quando o Bran está a praticar tiro com arco. Tinha de saltar uma cerca e perseguir a Arya [interpretada por Maisie Williams]. Fizemos muitos takes e estava a gostar muito de saltar sobre a cerca e comecei a imaginar que estava num filme do James Bond, quando pus mal o pé, falhei completamente a cerca e voei, aterrando com um baque do outro lado. O Tim Van Patten [realizador] achou muito engraçado.
P: Como é conciliar a escola e as gravações?
R: Recomendo combinar a escola e as gravações!  Tive muito tempo de folga, foi incrível. E a minha escola apoiou-me muito. Preparam trabalho para mim, que faço com um professor particular ou com a minha mãe. Funciona bem, por enquanto.
P: És próximo dos outros membros do elenco?
R: Ter podido conhecer o elenco foi muito excitante. Sou muito próximo da minha família Stark e de toda a criadagem Stark (e, de forma controversa, dos Lannisters também!). Tive muita sorte em ter várias cenas com o Donald [Sumpter, que interpreta Maester Luwin], que tem sido incrivelmente prestável e amável comigo. Conheci outros membros do elenco aqui e ali. O Jason [Momoa, que interpreta Khal Drogo na primeira temporada] é muito forte. Consegue pegar-me só com um braço!
P: Deve ter sido excitante receberes o teu primeiro ordenado. Qual foi a primeira coisa que comprou?
R: Sim, é incrível ser pago para me divertir tanto, mas para ser sincero a minha mãe não gosta que eu gaste o meu dinheiro porque ela quer que eu poupe para poder pagar a universidade. Felizmente, deixou-me comprar algumas coisas, a primeira das quais foi uma câmara de filmar Canon HV30 e algum software de edição para eu poder começar a fazer os meus próprios filmes.
P: A representação foi algo que sempre quis fazer?
R: Nunca planeei representar. Apenas me juntei ao clube de teatro porque me impedia de jogar futebol em domingos de manhã invernosos. Tive muita sorte em conseguir o papel de Bran. A minha mãe disse que eu só podia fazer 6 audições. Recebi um anúncio e Game of Thrones foi a sexta.
P: Você se vê representando no futuro?

R: Gostaria de continuar a representar, ou talvez escrever ou realizar quando for mais velho.

Fonte:

Rhllor o Deus Vermelho

A pedidos, estou continuando a série de posts da Lidiany sobre as religiões no mundo d’As Crônicas de Gelo e Fogo. Já foi falado aqui sobre a Fé dos Sete, dos Deuses Antigos, e do Deus Afogado. Nesse post, eu falarei sobre R’hllor, outra divindade também muito importante que, aqueles que não leram o livro ainda, vão passar a conhecer melhor na segunda temporada da série.
R’hllor, também conhecido como o “Senhor da Luz”, o “Coração de Fogo”, ou o “Deus da Chama e da Sombra”, é um deus de destaque em Essos, mas tem apenas alguns seguidores em Westeros, onde ele é mais comumente conhecido como o “Deus Vermelho”. Seu símbolo é um coração ardente.
Melisandre, Stannis e o "Coração Ardente" de R'hllor

Melisandre, Stannis e o "Coração Ardente" de R'hllor

Melisandre, Stannis e o “Coração Ardente” de R’hllor
A religião de R’hllor é baseada em uma visão dualista do mundo: R’hllor, o deus da luz, calor e vida, e sua antítese, o Deus cujo nome não deve ser falado, o deus do gelo e da morte ou o “Grande Outro” (Acredita-se que ele seja a entidade por trás dos Outros). Eles estão bloqueados em uma eterna luta com o destino do mundo, uma luta que, segundo a antiga profecia dos livros de Asshai, só vai acabar quando Azor Ahai, uma figura messiânica, retornar empunhando uma espada flamejante chamada Lightbringer (Luminífera), a Espada Vermelha dos Heróis e com ela despertar os chamados “dragões de pedra”.
Stannis Baratheon usa o símbolo de R'hllor unido ao símbolo de sua casa (Imagem: Amoka)

Stannis Baratheon usa o símbolo de R'hllor unido ao símbolo de sua casa (Imagem: Amoka)

Os “Sacerdotes Vermelhos” como Melisandre de Asshai e Thoros de Myr, são membros do clero. Eles são assim chamados devido às vestes carmesim que usam. No leste, eles são uma visão comum, onde a fé e influência de R’hllor é mais difundida. As crianças são, por vezes, dadas aos templos de R’hllor para que sejam criadas para o sacerdócio. Os templos também compram as crianças como escravos, que são conhecidas como “Escravos de R’hllor” e cria-os como sacerdotes, prostitutas do templo, ou guerreiros. Os guerreiros que protegem os templos de R’hllor são chamados de Fiery Hands (Mãos de fogo ou Mãos Ardentes)
Todas as noites, os sacerdotes vermelhos acendem fogueiras e cantam orações em seus templos, pedindo R’hllor para trazer de volta o amanhecer. Seguidores muitas vezes olham para as chamas esperando receber visões do futuro. Acredita-se que R’hllor irá ocasionalmente responder às orações de seus seguidores através da concessão de visões e habilidades, tais como ressuscitar os mortos e controlar as sombras (Que, segundo Melisandre, são servas da luz, pois “sem a luz não existem sombras”). Alguns ritos realizados pelos sacerdotes vermelhos, incluem sacrifício pelo fogo.Julgamentos por combate são uma prática aceita na fé de R’hllor; orações antes do combate pedem forças à R’hllor e pedem que ele escolha o vencedor com justiça.”A noite é escura e cheia de terrores”, é uma frase comum em orações para R’hllor, e é mostrada no teaser da segunda temporada.

ATENÇÃO: O texto abaixo contém SPOILERS dos livros 

A adoração de R’hllor é uma tradição religiosa no continente Essos, mas não ganhou muita popularidade em Westeros. Esforços recentes para espalhar a fé para Westeros incluem o envio de sacerdotes vermelhos como Thoros para Porto Real, afim de que ele pudesse converter  o Rei Aerys II (vulgo o “Rei Louco”), que era obcecado pelas chamas. Esta tentativa falhou já que Thoros não foi capaz de impressionar Aerys com sua magia de fogo.

Stannis, Melisandre e a Luminífera
Stannis, Melisandre e a Luminífera

Como outros tipos de magia, a magia do R’hllor parece ter desaparecido após a morte do último dragão Targaryen, mas com o regresso dos dragões no leste, as habilidades dos sacerdotes de R’hllor têm se fortalecido. Thoros, enquanto servia no templo de Myr, não descobriu nenhum tipo de novos poderes. No entanto, desde o retorno dos dragões, ele conseguiu ressucitar Beric Dondarion inúmeras vezes durante um ritual. Os poderes de Melisandre também foram aumentados desde a sua chegada à Muralha.

Melissandre

Melissandre

Beric Dondarion e sua espada em chamas
Beric Dondarion e sua espada em chamas
Atualmente existe a formação de dois novos círculos de culto em Westeros, seguindo um sacerdote vermelho de R’hllor. Thoros e Beric, juntos, fundaram a “Irmandade Sem Bandeiras”, uma organização criminosa ligada em parte pela sua adoração a R’hllor (você pode ler um pouco sobre eles nesse post aqui). Em Pedra do Dragão (Dragonstone), Melisandre convenceu Stannis Baratheon para reivindicar o manto de Azor Ahai com sua magia de fogo. No entanto, após a morte final de Beric e a derrota de Stannis na Baía da Água Negra (Blackwater), a influência de Thoros e Melisandre sobre suas congregações diminuiu.
O Duelo entre Beric Dondarion e Sandor Glegane

O Duelo entre Beric Dondarion e Sandor Glegane

Espero que tenham gostado do post. Valeu o/

Fonte: Game of Thrones Br

O Deus afogado

Continuando a série de posts sobre as religiões em Westeros, após falar sobre “Os Sete” e “Os deuses” antigos“, esse post traz informações sobre “O deus afogado”.

O deus afogado é uma divindade do mar adorada exclusivamente pelos Homens de Ferro em Westeros. A religião do deus afogado é antiga, remonta a antes da invasão dos Ândalos. O Andalos que invadiram as Ilhas de Ferro se converteram à religião local, em vez de suplantá-lo com os Sete fizeram no sul do Westeros. Os seguidores da religião apoiam a cultura naval pirata dos Homens de Ferro. Eles acreditam que o deus afogado os criou para assolar, estuprar e esculpir reinos. Acredita-se que o deus afogado trouxe uma chama proveniente do mar e navegou o mundo a ferro e fogo. O eterno inimigo do deus afogado é chamado de deus da tempestade.

Aeron Greyjoy por Amoka
Sacerdote do deus afogado
Conhecido como Aeron Cabelo-molhado

Afogamento e ressurreição tem um lugar de destaque nas orações e rituais da religião. O afogamento é o método tradicional de execução para os homens de ferro, mas também é considerado um ato sagrado e, os mais fiéis não tem medo dele. Recém-nascidos são “afogados” logo após o nascimento, sendo submersos ou ungidos com água salgada. Clérigos, chamados Homens Afogados, são verdadeiramente afogados pela segunda vez e trazidos de volta à vida com uma forma tosca de ressurreição cardiopulmonar. Os homens afogados usam túnicas grosseiras manchadas de verde, cinza e azul. Eles carregam troncos como porretes para uso em batalha, e cantis de pele com água salgada para rituais. A oração comum é: “O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte.” (What is dead can never die, but rises again, harder and stronger.)
O deus afogado. Por ~guad

Novo vídeo no ar: First Look

Muitos detalhes empolgantes aparecem nesse vídeo. Temos o cometa vermelho, a primeira imagem do Meia Mão, Stannis, Melissandre, fogo vivo, filhote de dragão e muito mais.

Até agora me parece ser o vídeo com mais detalhes sobre a segunda temporada.

 

Entrevista com Aidan Gillen

Aidan Gillen, o reconhecido ator que interpreta o papel de Mindinho em Game of Thrones, deu uma entrevista ao The University Observer, na qual fala dos seus papéis em The Wire e Game of Thrones, entre outras coisas. Sobre Game of Thrones, Aidan Gillen diz que já leu os 5 livros que George R.R. Martin publicou e acrescenta: “Gosto do âmbito alargado da série, que haja tantas vertentes em jogo – gosto que seja duro, triste e engraçado. E que esteja tudo enraizado na experiência humana real com algo como a magia, que agora começa a aparecer. Foi sendo adquirido, e portanto é credível.
Sobre a sua personagem: “Na verdade, estou a tentar deixar de representar vilões – talvez assinar para seis temporadas como Mindinho vá contra isso, mas não o vejo como um vilão, mais como um estrategista brilhante e um sobrevivente num mundo de gargantas cortadas.
Sobre a segunda temporada: “Há algumas personagens novas fortes (com o George R.R. Martin há sempre, e continuam a aparecer) – o irmão de Robert Baratheon, o anterior Rei de Westeros, Stannis, é óbvio. Vemos Mindinho diversificar ao partir em algumas viagens, e é agradável sair dos interiores.
Sobre a sua interação com Tyrion: “Tenho algumas interações com Tyrion – ele agora domina a cena em King’s Landing… Há sempre muito a acontecer. Tendo trabalhado em The Wire, conheço os méritos de um jogo longo. É mais interessante, não paternalista.
Sobre a já famosa sexposition: “Houve sempre muita conversa e muito sexo nos livros, acho que interligaram as coisas assim, e é uma convenção que funciona nas séries dramáticas. Claro, eu giro uma cadeia de bordéis na série, por isso há sempre alguma coisa a acontecer, mas espero que não distraia muito. Agora temos dragões, de qualquer modo.

Religião em ASOFIAF – A fé dos Sete

A Fé dos Sete

fonte: Game of Thrones Br

Septã Mordame - Governanta dos Starks

Esse texto  dá continuidade a série de posts sobre a religião em Ás Crônicas de Gelo e Fogo, na primeira parte se comentou sobre os Deuses Antigos, agora continuamos com A Fé dos Sete.

A Fé dos Sete é uma religião onde se venera uma divindade com sete aspectos (ou faces).
A Fé dos Sete é a religião oficial dos Sete Reinos e está fortemente integrada às suas leis e cultura.
Foi trazida para Westeros pelos Ândalos, suplantando o culto local dos Deuses Antigos.
Depois da conquista de Aegon , se tornou a religião oficial dos Sete Reinos . Muitas vezes é referida como a “Fé” ou como “Os Sete”.

Os Sete
Na Fé se adora os Sete, uma única divindade com sete aspectos ou faces, cada um representando uma virtude diferente.
Os devotos oram aos aspectos específicos do Sete, pedindo ajuda e orientação de acordo com sua necessidade.

_________________________________________________________________________________________________

As sete faces são:
§ Pai (Father), o que representa julgamento, ele carrega balanças e é evocado por aqueles que pedem justiça.
§ Mãe (Mother), representa a maternidade e o carinho, ela clamada para aqueles que necessitam de fertilidade ou compaixão.
§ Guerreiro (Warrior), representa a força na batalha, é clamado por aqueles que pedem a vitória.
§ Virgem (Maiden), representa a inocência e a castidade, ela é geralmente evocada para proteger as virtudes de uma donzela.
§ Ferreiro (Smith), representa o artesanato e o trabalho, é geralmente evocado por aqueles que precisam concluir um trabalho.
§ Senhora (Crone), representa a sabedoria, ela carrega uma lanterna e é evocada quando se precisa de orientação.
§ Estranho (Stranger), uma exceção para os outros aspectos, representa a morte e o desconhecido. Adoradores raramente procuram o favor do estranho, mas às vezes marginalizados se associam a este deus.

_________________________________________________________________________________________________

Práticas
A fé tem um grande número de ensinamentos morais. Condena o jogo, a bastardia, amaldiçoa coisas como incesto e fratricídio.
Um dos santos textos centrais da Fé é a Estrela de Sete Pontas, que é dividido em seções como o evangelho. Cada um dos Sete tem seu próprio livro. Durante os julgamentos por combate , os Sete devem intervir do lado do combatente apenas. Para se tornar um cavaleiro, um escudeiro deve passar uma noite em vigília em um Septo e ser ungido em nome dos Sete. Por esta razão, há poucos cavaleiros em áreas onde a Fé não é mantida, como o Norte .
O número sete é considerado sagrado para a fé. Ela afirma que há sete infernos, bem como sete rostos. Sete constelações no céu são consideradas sagradas. O número sete é usado em rituais ou objetos com um significado sagrado. Os adeptos da Fé usam estrelas de sete pontas, prismas de cristal e arco-íris como ícones da religião. Ritos de culto envolvem o uso de luz e cristais para representar o deus Sete-em-um.
Os lugares de culto das Sete são chamados de “septos”, onde são feitas artes para retratar cada um das Sete faces. Em septos da zona rural, podem ser usadas apenas máscaras esculpidas ou simples desenhos a carvão numa parede, enquanto em septos ricos, os Sete podem ser estátuas embutidas com pedras e metais preciosos.
Adoradores mantém velas acesas nos altares simbolizando cada uma das sete faces. Cerimônias são liderados pelo mais alto membro do clero masculino, e hinos são geralmente cantados. Na nomeação de uma criança, sete óleos são usados para ungir o bebê. Casamentos são realizados em pé entre os altares do Pai e da Mãe. Ritos de culto realizado em áreas ricas e em ocasiões especiais podem apresentar enfeites tais como corais de setenta e sete septas.

_________________________________________________________________________________________________

Clero
Septões
Os membros masculinos do clero da Fé são chamados de “septões”, há várias ordens de devoção, entre eles, cada um concentrando sua devoção em um aspecto dos Sete.
Por exemplo, há septões jurados do Ferreiro, estes usam martelos metálicos em uma corrente no pescoço. Septões sem septo vagam pelo campo, ministrando ao povo em troca de comida e abrigo. Eles são, por vezes desprezados como “irmãos mendigos”, e usam uma tigela de metal pequeno em seus pescoços.

_________________________________________________________________________________________________

Septãs
As sacerdotisas são chamadas “septãs”, e há várias ordens de devoção entre elas. Existem ordens de septãs, chamado septas branco, cinza ou azul, mas não é revelada a qual o aspecto da divindade de cada uma delas é dedicada. Há conventos de septas chamados ‘casasmães”. Septãs muitas vezes servem como governantas nas famílias da alta nobreza.

_________________________________________________________________________________________________
Irmãs silenciosas
É uma ordem separada para as mulheres que fazem votos de castidade e silêncio, elas manipulam os corpos dos mortos, e não são consideradas como septas.
As Irmãs silenciosas são muitas vezes chamadas de ‘Esposas do Estranho”. Elas se vestem decinza e mantêm os rostos cobertos, exceto pelos olhos.

_________________________________________________________________________________________________

Os Mais devotos
A Fé é governada por um conselho do clero mais alto, chamado de “Os Mais Devotos”. A maioria dos devotos são lideradas pelo Alto Septão, um cargo eleito pela maioria. Embora o Alto Septão geralmente seja eleito entre os mais devotos, este não é um requisito. O Alto Septão renuncia ao seu nome quando assume o cargo. Geralmente usam uma grande coroa de cristal, enquanto desempenham suas funções. O Alto septão e Os Mais Devotos se reúnem no Grande Septo de Baelor em King’s Landing (Porto Real), um grande edifício de mármore branco, com sete torres de cristal. Antes da vinda dos Targaryen , a sede da Fé foi o ornamentado Septo em Oldtown , construído em mármore preto com vitrais.

_________________________________________________________________________________________________

Novo vídeo da segunda temporada – Convite ao set

Novo vídeo é bem legal e tráz várias locações da segunda temporada.

Vários personagens estão presentes como Jon, Dany, Renly, Tyrion e outros.

Mas atenção a Tyrion quase ao final do vídeo, seria aquele pequeno recipiente de vidro em sua mão um dos frasco de fogo vivo. Vale a pena esperar para ver…

 

Imagens com quotes da segunda temporada

Fonte: Game of Thrones Br

A página do twitter de Game of Thrones publicou essas imagens dos personagens com citações deles na segunda temporada que podem ser vistas no tease “Shadow”.

Qualquer um pode ser morto - Arya Stark

Eu vou tomar o que é meu com fogo e sangue. - Daenerys Targaryen

Te matar mandaria uma mensagem ao seu irmão. - Joffrey Baratheon

Eu entendo como jogar esse jogo. - Tyrion Lannister

Um homem muito pequeno pode projetar uma sombra muito grande. - Varys

Novo vídeo traz o trabalho dos figurantes

O novo vídeo da segunda temporada trata do trabalho dos voluntários que trabalham como figurantes.

O vídeo e super interessante e mostra todo o trabalho e cuidado que se tem com a figuração. Desde terem o cuidado para que  as roupas pareçam autênticas passando serem pobres e surradas em Porto Real, ou serem suntuosas em Quarth. Uma barba aparada ou um rosto parecer sujo.

São centenas de espadas, cotas de malha, escudos, elmos…

E a HBO mostrando a qualidade de GOT.

 

Ilustrações dos personagens de Game of Thrones

O ilustrado do blog Themico fez ilustrações bem catoonescas  dos personagens de Game Of Thrones.

Se vocês quiserem saber mais sobre o artista visitem o seu Facebook aqui ou seu blog aqui.

Logo abaixo da imagem segue a lista com os nomes de todos os personagens.

Ser Rodrik Cassel, Davos Seaworth, Aerys II Targaryen, Varamyr Sixskins

Jon Arryn, Bran Stark, Arya Stark, Sansa Stark

Rickon Stark, Robb Stark, Samwell Tarly, Mance Rayder

Rattleshirt, Ygritte, Ramsay Bolton, Strong Belwas

Tormund Giantsbane, Hodor, Varys, Joffrey Baratheon

Qyburn, Grand Maester Pycelle, Maester Aemon, Maester Luwin

Ser Robert Strong, Cersei Lannister, Bronn, Ser Mandon Moore

Asha Greyjoy, Aeron Greyjoy, Mark Mullendore, Balon Greyjoy

Ser Waymar Royce, Qhorin Halfhand, Yoren, Syrio Forel

Catelyn Stark, Lady Stoneheart, Biter, Vargo Hoat